Um apartamento de Paris fechado durante 7 décadas.
Uma proprietária que não regressou à capital desde a II Guerra Mundial mas continuou a pagar escrupulosamente a renda.
Uma miríade de tesouros espalhados (para uma miríade de coleccionadores gulosos).
Uma imensidão de histórias, estórias e fantasias que passam pela cabeça de todos os que lêem uma notícia destas.

Abrir o túmulo de um faraó com 3 mil anos ou um apartamento parisience dos anos 30, a sensação e a curiosidade humanas parecem ser as mesmas. Tal como a corrida aos tesouros.

Mais informações aqui (Telegraph) e aqui (Obvious, de onde vem a foto).

Anúncios